Exportações do RS cresceram 24% até maio, mas câmbio preocupa

Porto Alegre, 18 - As exportações do Rio Grande do Sul somaram US$ 5,16 bilhões de janeiro a maio, com aumento de 24%, informou a Federação das Indústrias do Estado (Fiergs). Apesar do desempenho, a entidade ressaltou que a base de comparação com o ano passado é fraca e que a receita em reais cresceu menos (15%). O presidente da instituição, Paulo Tigre, voltou a demonstrar preocupação com o câmbio e seus efeitos sobre o parque industrial gaúcho. "Neste nível em que está o dólar, vamos perder mercados, indústrias fecharão e, por conseqüência, haverá menos postos de trabalho", avaliou.A Fiergs observou, por exemplo, que houve queda de 8% nas exportações deste período quando comparadas ao de janeiro a maio de 2005. Se o período for 2004, a queda é maior: 9,7%. Caso a performance de 2004 tivesse continuidade, a indústria de transformação teria exportado R$ 1 bilhão a mais nos cinco primeiros meses de 2007, descontada a inflação, estimou a entidade.Alimentos e bebidas, principalmente óleo de soja, carnes suína e de frango, além de química, fumo, máquinas e equipamentos tiveram os melhores desempenhos setoriais.Com relação aos destinos, a China é o que mais avançou, passando de sexto maior importador do Rio Grande do Sul para o terceiro lugar (basicamente soja e derivados), adquirindo 6% do total das vendas gaúchas ao exterior. Os Estados Unidos são o primeiro destino (14%), a Argentina é o segundo (10%), a Rússia (5%) vem em quarto e a Alemanha (4%), em quinto.As importações do Estado cresceram 11%, passando de US$ 3,12 bilhões de janeiro a maio de 2006 para US$ 3,45 bilhões este ano. O saldo da balança comercial gaúcha ficou em US$ 1,71 bilhão até maio.

Sandra Hahn

15 de julho de 2007 | 11h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.