Faesc defende redução nas importações de trigo

Porto Alegre, 1 - A Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc) pediu hoje a redução das importações de trigo e que o governo compre excedentes para formar estoques, a fim de evitar a queda de preços do cereal. O Brasil consome cerca de 10,5 milhões de toneladas por ano e irá produzir em 2004 uma safra recorde de 6 milhões de toneladas, mas a importação programada é de até 7 milhões de toneladas, o que gera "uma perversa situação de superoferta interna", afirmou o vice-presidente de secretaria da Faesc, Enori Barbieri, por meio de nota. Até 2002, quando o Brasil colheu 3,5 milhões de toneladas de trigo, o País costumava importar cerca de 70% das necessidades internas de trigo, algo em torno de 7 milhões de toneladas. Em Santa Catarina, a colheita de trigo está em fase inicial. A área destinada ao cereal aumentou 10,4%, para 86 mil hectares. A produtividade esperada é de 2.206 quilos por hectare e a produção, de 189 mil toneladas. O preço de referência no Estado é de R$ 21,00 pela saca de 60 quilos, abaixo do mínimo, de R$ 24,00. Para evitar que o produtor fique desestimulado e abandone o cultivo de trigo, "o governo deve intervir corretivamente no mercado", recomendou Barbieri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.