Pearson vende fatia na 'The Economist' por US$ 730,6 milhões

Pearson vende fatia na 'The Economist' por US$ 730,6 milhões

Negócio transforma a família italiana Agnelli na maior investidora da revista; em julho, a Pearson vendeu o 'FT' para o japonês Nikkei

, Reuters

12 de agosto de 2015 | 10h38

A britânica Pearson acertou a venda de sua fatia de 50% na The Economist por 469 milhões de libras (US$ 730,6 milhões), em uma transação que transforma a família italiana Agnelli na maior investidora na revista semanal.

Pouco após a venda do jornal Financial Times à japonesa Nikkei, a Pearson disse que acertou a venda da Economist à Exor, veículo de investimento da família Agnelli, e para o The Economist Group.

"Estamos convencidos do enorme potencial que ainda existe e particularmente na capacidade da The Economist de aproveitar as muitas oportunidades de desenvolvimento ligadas à digitalização da indústria da mídia", disse o presidente-executivo da Exor e herdeiro da família Agnelli, John Elkann, em comunicado.

A Exor disse que a venda levará sua fatia a 43,4%, ante 4,7%, por um preço de 287 milhões de libras. O The Economist Group pagará 182 milhões de libras para recomprar as ações ordinárias remanescentes da Pearson.

A companhia acrescentou que, obtendo a aprovação de acionistas, o estatuto da The Economist será alterado para limitar os poderes de voto de qualquer acionista a 20% e para assegurar que nenhum indivíduo ou companhia possa deter mais de 50% das ações do grupo.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASPEARSONECONOMIST*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.