Faturamento da Avianca com carga deve dobrar este ano

A Avianca Cargo, unidade de cargas da Avianca Brasil, tem como meta ampliar em 50% seu faturamento em 2013, que este ano já deve apresentar crescimento de aproximadamente 100% em relação ao ano passado. "Em 2011 faturamos R$ 21 milhões e a meta para este ano é chegar a R$ 41 milhões. Em 2013, devemos crescer mais 50%", afirmou nesta terça-feira Tarcísio Gargioni, vice-presidente Comercial e de Marketing da Avianca Brasil.

SILVANA MAUTONE, Agencia Estado

18 de setembro de 2012 | 12h26

Em abril deste ano, a companhia aérea reestruturou sua unidade de carga. Para isso, Gargioni, que participou da fundação da Gol e ficou na empresa por dez anos, antes de ir para a Avianca, contratou para a posição de gerente geral de Cargas Anselmo Achur Mastandréa, também vindo da Gol, onde passou nove anos. Também foram contratados quatro gerentes de conta e quatro coordenadores de vendas. Até o final do ano a equipe comercial deve contar com 14 profissionais.

De janeiro a agosto, a Avianca Cargo ampliou em 14% sua base de clientes, em 52% sua receita e em 37% o volume de carga transportada (em toneladas). Atualmente o transporte de carga representa cerca de 3% da receita total da empresa, mas, segundo Gargioni, há potencial de elevar esse número para 5% até 2015. Dificilmente uma companhia aérea que atua somente no mercado doméstico, apenas com aviões de passageiros, ou seja, usando só os porões para transportar mercadorias, consegue ter mais de 5% de sua receita vinda do transporte de carga", disse o executivo.

Atualmente, a Avianca Brasil possui 28 aeronaves: 14 Fokker 100, cinco Airbus A318, quatro A319 e cinco A320. Até dezembro devem chegar mais cinco A318 e um A320, elevando a frota para 34 unidades. Segundo Mastandréa, a capacidade de carga dos modelos A320 é de aproximadamente cinco toneladas; a do A319, de três toneladas; a do A318, de 2,5 toneladas; e a do Fokker 100 varia entre 600 quilos e uma tonelada.

Novo terminal

A Avianca deve começar a substituição dos Fokker 100 por modelos Airbus A320 a partir de 2015, processo que deve durar aproximadamente dois anos. Com isso, a companhia ganhará ainda mais espaço para o transporte de carga.

"Nos voos mais demandados, que são os que saem pela manhã de São Paulo para as cidades do Nordeste, chegamos a quase 100% de ocupação", disse Mastandréa. De acordo com o gerente geral de Cargas, entre 60% e 65% dos produtos transportados são medicamentos e eletroeletrônicos, como celulares e computadores.

Atualmente, a Avianca Cargo movimenta cerca de 6,5 toneladas por dia. Nesta terça-feira, a companhia inaugurou um terminal no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, de 400 m². Ele se soma a um outro que a empresa já possui no local, de 300 m². Na unidade inaugurada nesta terça-feira será feito somente o embarque da carga. No antigo, apenas o desembarque.

Quando tinha apenas um terminal, a capacidade da empresa era de movimentar até 4,5 toneladas por dia em Congonhas. Agora, é de 8 a 10 toneladas diárias. O investimento foi de R$ 500 mil (o local é alugado). Entre janeiro e agosto deste ano, a unidade de Congonhas movimentou 1,2 mil toneladas de carga, 328 toneladas a mais do que em igual período do ano passado

A Avianca Cargo possui hoje 21 terminais no País e outros três devem ser inaugurados ainda este ano: no Galeão, no Rio de janeiro, em Ilhéus, na Bahia, e em Maceió, em Alagoas. A Avianca irá inaugurar agora em outubro voos regulares de passageiros para Maceió saindo do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Tudo o que sabemos sobre:
Avianca Cargonovo terminal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.