Faturamento da Ericsson sobe no 3º trimestre

A Ericsson, maior fabricante mundial de equipamentos de rede, divulgou um aumento do faturamento líquido no terceiro trimestre, puxado por uma força continuada na demanda pela banda larga móvel, bem como pelo crescimento da receita de serviços. Contudo, sua margem bruta caiu para 35%, de 38,2% no mesmo período do ano passado, e também ficou abaixo da expectativa dos analistas, que era de 37,2%.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

20 de outubro de 2011 | 08h57

Nos últimos trimestres, a margem bruta da Ericsson foi puxada para baixo pelos projetos de modernização de redes na Europa, que geram margens menores do que a construção de redes novas. "Uma proporção mais alta de projetos de cobertura, juntamente com a aceleração dos projetos de modernização de redes na Europa, teve impacto negativo sobre a margem bruta", disse a Ericsson. O lucro líquido subiu para 3,82 bilhões de coroas suecas (US$ 577 milhões), de 3,68 bilhões de coroas um ano antes, e acima das expectativas, que projetavam 3,72 bilhões de coroas.

O faturamento líquido aumentou para 55,52 bilhões de coroas no terceiro trimestre, de 47,48 bilhões de coroas um ano antes, ficando acima também da expectativa dos analistas, que era de 52,76 bilhões de coroas. As vendas foram impulsionadas pela demanda por equipamentos sem fio em muitos dos mercados da Ericsson. Contudo, no importante mercado norte-americano, onde a companhia sueca é a principal fornecedora de equipamentos de rede para todas as principais operadoras, as vendas diminuíram 6% no terceiro trimestre em relação a igual período de 2010, para 12,1 bilhões de coroas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Ericssonbalançoequipamentos de rede

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.