Febraban reduz projeção de crescimento da economia em 2012 para 1,9%

Houve corte também na previsão para a evolução do PIB de 2013, de 4,3% para 4,1%

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado,

26 de julho de 2012 | 09h50

A Federação Brasileira de Bancos reduziu a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) nesteano de 2,5% para 1,9%. De acordo com  a Pesquisa Febraban de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado, a revisão reflete um cenário de retomada da atividade econômica mais fraca que a calculada no início do ano e uma piora no quadro externo desde a pesquisa divulgada no dia 14 de junho.

Houve corte também na previsão para a evolução do PIB de 2013, de 4,3% para 4,1%. A pesquisa reúne estimativas de 28 analistas de instituições financeiras sobreos principais indicadores econômicos. 

Em relação à inflação, a pesquisa da Febraban revisou as projeções para este ano e manteve inalterada a expectativa para 2013. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve encerrar 2012 com variação positiva de 4,9%, ante 5% projetados anteriormente, por conta de comportamento "mais benigno" deste indicador nas últimas parciais. Em 2013, o índice deve ficar em 5,5%.

Em relação ao Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), o ano deve terminar com variação de 6,3%, uma alta em comparação à expectativa anterior de 5,7% que reflete as pressões no atacado das commodities agrícolas provocadas por frustração das safras em diversos países. Em 2013, o IGP-M deve chegar a 5,1%.

A pesquisa mostra que os analistas preveem novas quedas na taxa básica de juros (Selic). Dos 7,75% ao ano previstos anteriormente para o fim de 2012, a pesquisa da Febraban agora indica que a Selic deve chegar a 7,50% ao ano. "Atividade econômica mais fraca, piora no cenário externo e melhora nos números de inflação permitiram novo ajuste para baixo na estimativa (mediana) da taxa Selic", afirma a nota da Febraban. Para 2013, a estimativa para a Selic teve redução de 0,50 ponto porcentual, para 8,50% ao ano. 

Tudo o que sabemos sobre:
Febrabanbanco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.