Febre aftosa leva Rússia a suspender compras de carnes do Brasil

Brasília, 17 - As exportações de carne para a Rússia estarão suspensas a partir de terça-feira da semana que vem (dia 21), informou há pouco o representante do governo russo no porto de Itajaí, Vladimir Prestes. Ele disse que recebeu hoje pela manhã uma circular de Moscou solicitando a suspensão da emissão de registros de exportação. O novo embargo foi determinado por causa do registro de um foco de febre aftosa no município de Careiro da Várzea na região leste do Amazonas. A descoberta do foco foi notificada à Organização Mundial de Saúde Animal e ao Centro Panamericano de Febre Aftosa pelo governo na sexta-feira da semana passada. A região do Amazonas é considerada de alto risco para casos da doença pelo governo brasileiro e não tem autorização para exportação. Essas informações, de acordo com o Ministério da Agricultura, foram repassadas aos países importadores de carne do Brasil. O ministério não diz não ter recebido notificação do governo da Rússia sobre o embargo. A Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carnes (Abiec) confirmou que a Rússia suspendeu as compras de carnes do Brasil. Esse é a segunda suspensão russa este ano. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Abiec, a suspensão é total e vale para os carregamentos de carne bovina, de frango e suína. Neste fim de semana, o presidente da Abiec, ex-ministro Agricultura, Pratini de Moraes, embarca para a Rússia onde participa entre os dias 21 e 24 de setembro da "World Food Moscow", a maior feira de alimentação da Rússia. Nove frigoríficos brasileiros vão expor durante o evento a carne bovina brasileira. A viagem de Pratini já estava pré-agendada e não tem relação com o novo embargo russo. No entanto, é quase certo que o presidente da Abiec vai aproveitar a viagem para negociar com os russos a suspensão do embargo. Uma outra reunião, dessa vez entre o ministro interino da Agricultura, José Amauri Dimarzio, com representantes dos frigoríficos ocorrerá na tarde hoje, na sede da Abiec em São Paulo. Esta reunião deve ocorrer às 15 horas e também já estava agendada antes da confirmação sobre o embargo russo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.