Fed agiu com integridade no caso BofA-Merrill, diz Bernanke

Em depoimento na Câmara, presidente do BC dos EUA diz que não fez ameaças a dirigente do Bank of America

Nathália Ferreira, da Agência Estado, e Dow Jones,

25 de junho de 2009 | 12h29

O presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmou nesta quinta-feira, 25, que as autoridades do banco central agiram "com a maior integridade" durante as tensas negociações com o Bank of America sobre a aquisição do Merrill Lynch pelo banco, claramente declarando que ele não ameaçou substituir a gerência se eles abandonassem o acordo.

 

"Eu não disse à gerência do Bank of America que o Federal Reserve tomaria uma atitude contra a diretoria ou a gerência", afirmou ele em comentários preparados para o Comitê de Supervisão e Reforma do Governo da Câmara. "Além disso, eu não instruí ninguém a indicar ao Bank of America que o Federal Reserve tomaria qualquer ação particular nessas circunstâncias."

 

Em seu depoimento perante o Comitê, Bernanke fez a defesa mais forte até o momento do papel do Fed nas negociações entre Bank of America, Departamento do Tesouro e o banco central que se prolongaram de dezembro a janeiro. O banco havia abordado importantes autoridades dos EUA em meados de dezembro sobre abandonar o acordo com o Merrill diante das crescentes perdas no banco de investimento.

 

O resultado final foi que o Bank of America fechou o acordo com o Merrill com ajuda de um pacote de resgate orquestrado pelo governo de US$ 20 bilhões e algumas garantias de empréstimos. "Essas ações foram tomadas sob circunstâncias altamente incomuns, diante de gravas ameaças ao nosso sistema financeira e a nossa economia", disse Bernanke.

 

Autoridades do Fed sentiram que, se o BofA abandonasse o acordo com o Merrill, isso representaria "riscos significativos" tanto para o sistema financeiro como um todo, quanto para o banco, disse Bernanke. Um rompimento das duas instituições poderia ter levado a uma crise sistêmica que poderia ter desestabilizado as duas instituições, e também teria levantado dúvidas sobre a gerência do banco aos olhos dos participantes do mercado.

 

Além disso, as autoridades do Fed não acreditavam que o BofA teria sido bem sucedido na sua tentativa de invocar a "cláusula de eventos materiais adversos" e desistir da aquisição do Merrill. "A melhor opção do Bank of America, e a melhor opção para o sistema, foi trabalhar com o Federal Reserve e o Tesouro para desenvolver um plano de contingência", disse Bernanke.

 

Ele também negou que o Fed tenha tido um papel inapropriado na decisão do Bank of America de não divulgar as perdas crescentes no Merrill Lynch, ou de que o banco tinha um compromisso de ajuda do governo. Ele disse que as autoridades do Fed queriam sim saber se o banco pretendia divulgar as perdas porque qualquer assistência federal teria que estar disponível no momento em que as divulgações fossem feitas.

 

"Mas as decisões e responsabilidades sobre divulgações ao público sempre continuaram, como se deve, com as próprias empresas", disse ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.