Fed faz proposta mais moderada de limite a tarifas por cartões

Projeto estabelece uma fórmula de três partes para o cálculo da tarifa máxima: uma base de US$ 0,21, mais tarifa de US$ 0,01 para 'prevenção a fraudes' e mais uma parcela variável

Renato Martins, da Agência Estado,

29 de junho de 2011 | 16h40

O Federal Reserve norte-americano anunciou uma proposta bastante mais moderada para a redução das tarifas de "intercâmbio" que os bancos cobram do comércio varejista por transações com cartões de débito e de crédito. O projeto estabelece uma fórmula de três partes para o cálculo da tarifa máxima: uma base de US$ 0,21, mais uma tarifa de US$ 0,01 para "'prevenção a fraudes" e mais uma parcela variável, dependendo do valor da transação.

Para uma transação com cartão de débito no valor de US$ 38 (a média das transações feitas nos EUA com esse tipo de cartão), a tarifa ficaria em US$ 0,24.

A proposta, que o Fed discutiria numa reunião marcada para começar hoje às 16h30 (de Brasília), dá aos bancos uma flexibilidade muito maior do que o teto de US$ 0,12 por transação que o próprio Fed havia proposto em dezembro do ano passado. Atualmente, a tarifa média é de US$ 0,44.

Os bancos deverão combater a nova proposta, assim como têm combatido qualquer limite às tarifas que cobram dos varejistas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
fedtarifasbancoscomerciocartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.