Fed trabalha para elevar supervisão do mercado, diz Bernanke

Segundo presidente do BC norte-americano, crise atual mostra que reguladores devem aumentar vigilância

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

07 de maio de 2009 | 11h47

O presidente do Federal Reserve (Fed), Ben Bernanke, disse que a atual crise financeira mostra que os órgãos reguladores bancários devem aumentar a vigilância e rigidez e que o Fed já trabalha para ampliar os esforços de supervisão. "O Federal Reserve embarcou em uma ampla introspecção e avaliação das lições da crise e trabalha assiduamente para implementar (as lições) que aprendeu", afirmou Bernanke em discurso no Fed de Chicago.

 

Veja também:

linkApós teste de estresse, 7 bancos devem precisar de US$ 65 bi

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise  

 

Ele acrescentou que os esforços regulatórios recentes para aplicar os testes de estresse nos 19 maiores bancos dos Estados Unidos revelaram ideias importantes para melhorar o processo de supervisão no futuro. Mais de 150 examinadores, supervisores e economistas do Fed, do Escritório de Controladoria da Moeda e da Corporação Federal de Garantias de Depósitos cooperaram "numa revisão simultânea" das perdas esperadas e ganhos das 19 maiores instituições, observou.

 

"O exercício foi compreensível, rigoroso, focado no futuro e houve elevada colaboração entre as agências supervisoras", afirmou Bernanke. "Sem dúvida, podemos usar muitos aspectos deste exercício para melhorar nosso processo de supervisão no futuro", disse Bernanke.

 

Ele observou que o Fed tem trabalhado em fóruns internacionais em questões de compensação e disse que "bônus e outras compensações devem oferecer incentivos aos empregadores em todos os níveis para que se comportem de modo que promovam a saúde no longo prazo da instituição".

 

Adicionalmente, Bernanke afirmou que o banco central dá alta prioridade à garantia de que a administração e o conselhos de diretores estejam muito cientes dos riscos que suas instituições assumem e para que trabalhem ativamente para administrar tais riscos. Ele acrescentou que a crise mostra que as instituições devem levar em consideração como suas posições de liquidez irão se sair em condições de estresse nos mercados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.