Feema autoriza início da expansão de R$1,5 bi da Reduc

A Refinaria Duque de Caxias(Reduc), da Petrobras, no Rio de Janeiro, recebeu sinal verdepara iniciar a expansão de 1,5 bilhão de reais que vai dobrar asua capacidade de processar líquido de gás natural. A Licença de Instalação foi concedida nesta segunda-feirapela Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente do Rio deJaneiro (Feema), informou a Petrobras em um comunicado. O líquido de gás natural, um produto nobre que vemassociado ao gás e de onde são extraídos derivados leves como agasolina, subirá dos atuais 5,4 mil metros cúbicos diários para10,8 mil metros cúbicos por dia. Outras unidades da refinaria também entrarão em obras paraaumentar a capacidade de processar o pesado petróleo nacionalextraído na bacia de Campos, e uma nova caldeira para produzirvapor será instalada para acompanhar o crescimento da unidade,informou o gerente de empreendimentos da Reduc, MarceloGliosci. "O gás, à medida que vai sendo processado, gera um líquidoque tem muito valor, é muito desperdício queimar esse líquido",explicou Gliosci à Reuters. Ele informou que o principal projeto é a expansão doprocessamento do líquido de gás, mas também haverá ampliação daunidade de craqueamento da Reduc de 7,5 mil para 9 mil metroscúbicos. As obras estão previstas para serem concluídas em 2012 edevem gerar seis mil empregos no período de construção. Aexpansão do processamento de líquido de gás natural, noentanto, estará pronta em 2009. "Isso faz parte do Plangás, um plano da Petrobras de tornaro país auto-suficiente em gás natural e que vai até 2010",disse Gliosci. (Reportagem de Denise Luna; Edição de Camila Moreira)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.