Ferrugem da soja chega aos Estados Unidos, confirma USDA

São Paulo, 10 - O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou hoje que foram encontrados focos de ferrugem asiática em uma fazenda experimental da Louisiana. Agentes do USDA disseram que há boas chances da doença ter se espalhado pelo estado. Os Estados Unidos eram o único grande produtor de soja que ainda não tinha registrado focos da doença, que está presente no Brasil e na Argentina, segundo e terceiro maior produtor mundial do grão, respectivamente. Richard Dunkle, vice-administrador do Serviço de Inspeção Animal e Vegetal do USDA, disse que o fungo foi descoberto primeiro nos campos experimentais porque eles são inspecionados mais frequentemente que as lavouras comerciais. Ele revela que uma equipe de inspeção do USDA irá ao estado para determinar quanto a doença se espalhou. Depois disso, serão necessárias inspeções em toda a região do Golfo do México. O Comissário de Agricultura da Louisiana, Bob Odom, disse à Dow Jones que há fungicidas suficientes para os produtores, mas que a maior parte da safra do Estado já foi vendida. De acordo com relatório semanal de acompanhamento de safra do USDA, até domingo passado 95% da safra de soja do estado tinha sido colhida. De acordo com análise feita em abril pelo Serviço de Pesquisas Econômicas do USDA, a ferrugem pode provocar perdas econômicas de US$ 640 milhões a US$ 1,3 bilhão apenas no primeiro ano de contaminação das lavouras. Richard Dunkle e Matt Royer, conselheiro-sênior do USDA para questões sanitárias, "culpam" os vários furacões que atingiram a região do Golfo neste ano, cujos ventos teriam carregado o fungo da América do Sul para os EUA. Os furacões, entretanto, não passaram pelos países sul-americanos. O Serviço de Pesquisas Econômicas do USDA observa que a ferrugem atinge 95% das áreas produtoras do Brasil e provocou perdas de 3,4 milhões de toneladas na safra 2003/04. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.