FGV: preços agrícolas seguraram inflação no atacado em 2004

Rio, 29 - Os preços dos produtos agrícolas contribuíram para segurar a inflação no atacado em 2004, medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M). Segundo o coordenador de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, os preços dos itens agrícolas acumularam alta de apenas 2,29% em 2004; em contrapartida, os preços dos produtos industriais subiram 20,18% no ano. Quadros observou que as elevações de preço no atacado dos agrícolas neste ano ficaram concentradas em poucos segmentos, como Legumes e Frutas, que encerrou o ano com alta de 24,21%, influenciada principalmente pelas elevações expressivas de alface (81,91%) e limão (207,69%). No caso desse último, foi o maior aumento de preço por produto registrada no atacado durante o ano de 2004. "Mas como o limão tem pouco peso na formação do IPA, não teve muita influência (na formação do indicador)", explicou Quadros. Entre os destaques de recuo de preço, nos produtos agrícolas em 2004, estão os grupos Cereais e Grãos (queda de 16,20%); e Lavouras para Exportação (queda de 10,41%), sendo que esse último foi influenciado pelo recuo no preço da soja no ano (-31,34%). O economista observou, porém, que na "ponta" dos resultados da inflação, ou seja, no resultado do IGP-M de dezembro, os produtos agrícolas estão em alta, e passaram de queda de 1,54% para aumento de 1,24% de novembro para dezembro, influenciada por elevações, no mesmo período, em itens de peso, como Animais e Derivados (de queda de 0,81 para alta de 2,88%) - esse último grupo ainda sofre os efeitos de menor oferta provocada pelo período da entressafra na pecuária.

Agencia Estado,

29 de dezembro de 2004 | 15h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.