Fiat vai aumentar participação da Chrysler para 35% em 2 anos

A Fiat espera aumentar sua participação na Chrysler para 35 por cento dentro de dois anos, afirmou o presidente-executivo do grupo Sergio Marchionne nesta sexta-feira.

LISA JUCCA E GIANNI MONTANI, REUTERS

26 de março de 2010 | 15h13

A Fiat acertou no ano passado assumir participação de 20 por cento no então insolvente grupo Chrysler. A montadora italiana pode aumentar sua parcela em mais 15 por cento em três operações de acordo com certos objetivos concordados com o governo norte-americano.

Marchionne afirmou que a Fiat começará a ampliar sua fatia na Chrysler este ano.

"Há três etapas de cinco por cento. Vamos fazer uma este ano, com o lançamento do 500 nos Estados Unidos", disse Marchionne a jornalistas depois de reunião de acionistas da Fiat. "Vamos adicionar 15 por cento dentro de 24 meses."

Um dos objetivos é a produção de carros pequenos e com consumo de combustível mais eficiente, como o 500, nos Estados Unidos.

"A Chrysler está em caminho de recuperação como o previsto no plano", afirmou Marchionne.

A Fiat, que caiu em prejuízo em 2009 depois de um ano recorde em 2008, deve se aproximar do equilíbrio financeiro em 2010, disse Marchionne.

Mais cedo, o executivo comentou que a Itália continua sendo fundamental para o grupo, apesar do planejado fechamento de uma grande fábrica na Sicília e da expansão para outros mercados para enfrentar a crise global.

Marchionne não comentou sobre o plano estratégico de 2010-2014 que a empresa vai revelar em 21 de abril, que pode esclarecer se a Fiat vai separar suas operações com automóveis do restante do grupo.

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSFIATCHRYSLER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.