Fibria: negócio gera impacto de R$ 100 milhões ao ano

A Fibria esclareceu que a venda de um terreno de 210 mil hectares para a Parkia Participações, por R$ 1,65 bilhão, não interfere em seu custo-caixa, mas terá um impacto nos investimentos (capex) da ordem de R$ 100 milhões ao ano. Mais cedo a empresa tinha informado que não haveria efeitos sobre o capex .

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

18 de novembro de 2013 | 17h05

O negócio foi anunciado na noite deste domingo, 17. De acordo com a Fibria, a Parkia é uma empresa brasileira, subsidiária de uma joint venture controlada por investidores brasileiros. Desta forma, o negócio cumpre com a legislação, que não permite que estrangeiros comprem terras brasileiras.

Os 210 mil hectares vendidos correspondem a 24% das terras sob gestão da Fibria, considerando os contratos de arrendamento e de áreas próprias. Considerando apenas as áreas próprias esse porcentual sobe para 32%.

O presidente da Fibria, Marcelo Castelli, disse que a companhia quer gerenciar 100% das suas florestas e que o negócio não inclui as "florestas sobre a terra". Ainda de acordo com o executivo, o objetivo da Fibria a longo prazo é ter 50% das terras que gerencia próprias e os outros 50% nas mãos de terceiros (mas que a empresa também gerencie).

Tudo o que sabemos sobre:
FibriaParkia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.