Filho de 'rei da soja' diz que nunca quis ser herdeiro

Filho de 'rei da soja' diz que nunca quis ser herdeiro

Criador da Zip.net, Marcos Moraes aposta em uma empresa virtual para estimular venda de pequeno empreendedor

Mônica Scaramuzzo, O Estado de S.Paulo

06 Maio 2018 | 05h00

Milionário aos 33 anos, quando vendeu em 1999 a Zip.Net, empresa de correio eletrônico, por US$ 365 milhões, Marcos Moraes diz que nunca quis seguir os passos do pai, o antigo “rei da soja”, Olacyr de Moraes.

Reforçou que jamais quis ser herdeiro e que nunca se animou com os papos que seu pai tinha com amigos agricultores sobre safra agrícola. “Todo ano era a mesma história do agora vai (dar certo).”

O empresário recebeu o Estado em seu escritório, em um prédio de instalações modestas na Faria Lima, centro financeiro de São Paulo. Segundo ele, a relação com o pai sempre foi de muito respeito. Com a irmã Ana Cláudia, no entanto, parece mais distante.

“Não somos brigados. A gente se encontra em aniversário de sobrinho”, afirmou, completando que não a processou para receber o dinheiro que emprestou ao pai, cujo valor ele não revela. 

Marcos reconhece que ganhou dinheiro muito cedo e que apostar em bebidas – ele foi o criador da Sagatiba, que tinha o apelo de uma cachaça mais chique – não foi um bom negócio, porque não soube calcular os riscos da atividade. O empresário vendeu a companhia em 2011, por US$ 26 milhões, para o grupo italiano Campari. 

Agora, sua aposta é na Luanet, uma empresa virtual que viabiliza empreendedorismo pessoal. O negócio foi lançado no início deste ano. A plataforma reúne pessoas que querem comercializar seus produtos na internet e faz a ponte para a venda. O diferencial, explica Marcos, é que o empreendedor ganha um impulso de marketing.

“O foco está nas cidades do interior do País. Podemos fazer um outdoor para promover o vendedor”, diz. Marcos Moraes não divulga dados de vendas, mas disse que o negócio cresce mês a mês. 

Pessoas próximas ao empresário dizem que a fase atual dele é bem diferente do início dos anos 2000, quando vendeu seu negócio e viajava em jatinho particular.

Marcos começou a fazer Economia, mas não concluiu o curso. Foi Olacyr que emprestou à época US$ 6 milhões para ele começar o seu negócio. Antes de vender a Zip, já tinha empreendido em tecnologia. Também criou e vendeu, nos anos 90, a operadora de paging (mensagens de texto) Access, pouco antes desse mercado entrar em crise, com o avanço do celular.

Mais conteúdo sobre:
sojaZipnet

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.