Filho do atual diretor do 'The New York Times' assumirá posto em janeiro

Arthur Gregg Sulzberger, de 37 anos, vai assumir o cargo em 1º de janeiro de 2018; seu pai irá continuar como presidente do conselho de administração.

AFP

15 Dezembro 2017 | 12h56

O diretor do jornal The New York Times, Arthur Ochs Sulzberger Jr, anunciou ontem que vai deixar seu cargo após 25 anos, e será substituído por seu filho. Arthur Gregg (A.G.) Sulzberger, de 37 anos, vai assumir o novo posto em 1.º de janeiro de 2018, segundo comunicado, enquanto seu pai vai continuar como presidente do conselho de administração.

A nomeação era esperada desde que A.G. Sulzberger foi nomeado, em outubro de 2016, diretor-adjunto da publicação, uma prévia de sua promoção. O novo diretor chegou ao Times em 2009, como repórter.

A família Ochs-Sulzberger controla uma minoria do capital do grupo de imprensa, mas tem parte essencial das ações de tipo B, que reforça seu poder de voto e lhe permite indicar nove dos 14 integrantes do conselho de administração.

O The New York Times foi comprado em agosto de 1896 por Adolph Ochs, que ficou à frente do jornal até sua morte, em 1935. Ele foi substituído por seu genro, Arthur Sulzberger.

A.G. Sulzberger, sexto integrante da família no cargo, ficou conhecido ao participar, em 2014, de um relatório sobre a inovação que transformou o funcionamento do jornal.

+ EUA derrubam regra relativa a concentração no setor de mídia

Estimulado pela cobertura da campanha eleitoral e do governo Trump, o veiculo passou, em dois anos, de 1 milhão de assinantes para 2,5 milhões. Somando assinantes digitais, do impresso, ou mistos, o Times tem 3,5 milhões.

Esse crescimento compensou a queda das receitas com publicidade, causada sobretudo pela redução nas vendas da versão impressa.

"A posição favorável na qual o Times está hoje é resultado direto dos arriscados desafios assumidos por Arthur: fazer do jornal um título nacional, depois internacional, investir em internet e insistir no fato de que vale a pena pagar pelo grande jornalismo", disse A.G. Sulzberger em um comunicado.

Mais conteúdo sobre:
The New York Times Mídia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.