Fipe eleva previsão do IPC de junho de 0,40% para 0,58%

São Paulo, 20 - O coordenador do IPC da Fipe, Márcio Nakane, elevou hoje a projeção para inflação de junho na capital paulista, de 0,40% para 0,58%. De acordo com ele, a alteração foi feita por causa da alta inesperada do indicador na segunda quadrissemana do mês (últimos 30 dias encerrados em 15/06), de 0,49%, ante 0,40% da primeira medição de junho.No período, o grupo Alimentação puxou o índice para cima após apresentar forte alta de 1,61%, a maior desde a primeira quadrissemana de março de 2003, quando subiu 1,70%. Entre os principais fatores para este movimento, o preço do leite longa vida, que já vinha sendo o maior vilão da inflação, ganhou a companhia de outros dois itens importantes: o feijão e o frango.Enquanto a elevação da bebida láctea passou de 12,59% para 14,16%, o feijão avançou de 8,76% para 12,75%, e o frango de 2,39% para 2,93%. Juntos, estes três itens contribuíram com 41,46% do IPC e fizeram a alta do subgrupo semi-elaborados passar de 2,60% para 3,49%.Um outro fator importante foi a redução na queda de preços dos produtos alimentícios in natura, que passou de -1,03% para -0,10%. Por conta destes comportamentos, Nakane revisou para cima a previsão da alta do grupo Alimentação para o final do mês, de 1,30% para 2%, o que elevou a estimativa geral para a inflação, por conta do peso do grupo. "Estamos vendo realmente um minichoque de preços dos alimentos. Resta saber se é um choque pequeno mesmo ou se será algo maior", disse Nakane.Para o final do ano, o coordenador do IPC preferiu manter a projeção de 3,7% para a inflação acumulada na cidade de São Paulo. Ele não descartou, entretanto, uma elevação nesta estimativa nas próximas divulgações do índice, justamente por causa da Alimentação. "Ainda não estou perdendo o sono com esta alta da inflação, mas já há um sinal amarelo", destacou.

Flavio Leonel

15 de julho de 2007 | 11h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.