Fitch cita menor volatilidade da economia brasileira

A diretora-s?nior da Fitch Ratings em Nova York, Shelly Shetty, afirmou em entrevista ? Ag?ncia Estado que alguns fatores determinaram a ascens?o do Brasil ? condi??o de grau de investimento, anunciada hoje pela ag?ncia de classifica??o de risco. "O Pa?s registrou uma melhora dram?tica das contas externas, h? maior estabilidade macroecon?mica e aumentou a confian?a (dos agentes econ?micos) de que o Pa?s apresenta menor volatilidade para apresentar uma maior velocidade de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto)", destacou.Shelly destacou que a evolu??o da pol?tica monet?ria e fiscal foi essencial para a Fitch elevar a nota do Brasil, quase um m?s depois de a Standard & Poor''s ter concedido o grau de investimento para o Pa?s, em 30 de abril. "Do lado da pol?tica monet?ria, a independ?ncia operacional do Banco Central tem se consolidado, o que foi exemplificado pelo recente aumento de juros pelo BC (adotado em abril)", afirmou.Segundo ela, mesmo que a infla??o apresente um patamar que est? dentro da banda larga estabelecida pelo governo, de 2,5% a 6,5% no ano, e as expectativas dos analistas de mercado para 2009 estarem no centro da meta, de 4,5%, o BC elevou a Selic (taxa b?sica de juros) no m?s passado para combater a infla??o e ancorar as expectativas dos agentes econ?micos. "E o avan?o da credibilidade do Banco Central ao longo do tempo deve reduzir ainda mais a volatilidade da infla??o", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.