Fitch diz que Espanha não terá nota rebaixada se pedir ajuda

Segundo a Fitch, a ajuda externa daria à Espanha mais tempo para executar reformas fiscais e econômicas

Sergio Caldas, da Agência Estado,

24 de agosto de 2012 | 09h12

A Fitch disse hoje que a nota de crédito da Espanha não será rebaixada se o governo espanhol solicitar um pacote de ajuda da União Europeia para comprar títulos do país.


Compras de títulos soberanos pela Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, nas iniciais em inglês), ou por seu eventual sucessor, o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês), nos mercados primário ou secundário, reduziriam o risco de uma esperada liquidez de crise e ajudaria a Espanha a manter o acesso a financiamento barato, disse a Fitch.

As operações de compra também diminuiriam a pressão sobre a nota de crédito da Espanha, afirmou a agência de classificação de risco. 

Segundo a Fitch, a ajuda externa também daria à Espanha mais tempo para executar reformas fiscais e econômicas e aumentar a credibilidade destas reformas através de políticas atreladas ao eventual resgate. 

Por outro lado, se as compras de títulos acabarem substituindo os capitais privados, a Fitch avisou que colocará a nota da Espanha sob revisão. "A dependência de recursos externos acabaria intensificando preocupações de que os atuais detentores dos títulos ficaram subordinados a credores oficiais", disse a agência. 

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaFitch

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.