Fleury deve concluir compra de Labs D'Or em até 4 meses

O Fleury espera assinar contrato definitivo para adquirir os laboratórios do grupo de hospitais D'Or, Labs D'Or, em até quatro meses enquanto avalia novas oportunidades de aquisições que podem, inclusive, ter a mesma dimensão da operação anunciada na noite de quarta-feira.

REUTERS

16 de dezembro de 2010 | 14h55

Em teleconferência com jornalistas, Mauro Figueiredo, presidente do grupo Fleury, afirmou que a operação com o grupo D'Or deve ser encarada como uma associação estratégica.

"Aquisições fazem parte do nosso projeto de crescimento e têm intuito de nos ajudar a crescer em receita, mas também adicionam valor para complementarmos serviços e nosso quadro de profissionais", afirmou Figueiredo. "É a 25a aquisição nos últimos 9 anos (...) Mas não é uma simples aquisição, é uma associação estratégica com a maior rede hospitalar privada do país", acrescentou.

"Há outras aquisições em fase final (...) Não há restrição para não ser do mesmo porte da Labs D'or", disse o executivo.

Às 14h54, as ações do Fleury exibiam alta de 2,8 por cento, a 25,70 reais, enquanto a rival Dasa mostrava queda de 1,5 por cento e o Ibovespa recuava 0,43 por cento.

As sinergias geradas pela incorporação da rede de 56 unidades de medicina diagnóstica do grupo D'Or ainda não foram calculadas. O valor deve ser obtido nos próximos meses, quando os grupos acertarem os contratos finais da aquisição de 1,04 bilhão de reais. Além dos laboratórios, o acordo também dá opção ao Fleury de operar a área de serviços de medicina diagnóstica de 19 hospitais da rede D'Or/São Luiz.

Com a operação, o grupo D'Or, que tem hospitais no Rio de Janeiro, em São Paulo, no ABC Paulista e em Pernambuco, pode se concentrar em sua atividade principal. O grupo planejava investimentos em 2011 de 70 milhões a 80 milhões de reais, montante que será revisto após a transação com o Fleury, disse o presidente da companhia, Jorge Moll.

Para o grupo Fleury, a operação reforça os negócios na cidade do Rio de Janeiro, principalmente na área de medicina diagnóstica por imagens. A rede do grupo passará de 29 para 85 unidades, abocanhando o parque de 30 equipamentos de ressonância da Labs D'or. "Teremos o maior parque desse tipo de equipamento no Rio de Janeiro", disse Figueiredo.

Segundo o executivo, 70 por cento da receita do grupo D'Or vem da área de imagens. Com isso, após o negócio, a participação da área no faturamento do Fleury passará de 40 para cerca de 50 por cento.

Figueiredo afirmou que o Fleury não tem intenção de apressar a integração com a Labs D'Or, algo que deve levar de um a dois anos e, com isso, as margens de lucro em 2011 deverão ficar estáveis com relação a este ano.

No próximo ano, o investimento programado pelo grupo Fleury era de 200 milhões de reais em expansão orgânica, algo que pode ser revisto após o cálculo das sinergias geradas pela incorporação da Labs D'Or.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASFLEURYDOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.