FMI nomeia dirigente do BC da China como conselheiro

Nomeação fortalecerá a cooperação entre a instituição e as nações emergentes, disse a embaixada da China

André Lachini, da Agência Estado,

24 de fevereiro de 2010 | 16h47

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, escolheu o vice-presidente do banco central da China, Zhu Min, como seu conselheiro especial. Zhu assumiu o posto no Banco do Povo da China (PBOC, na sigla em inglês), o BC chinês, no ano passado, após mais de uma década como executivo sênior do Bank of China. Ele deverá começar a trabalhar com Strauss-Kahn em 3 de maio.

 

"Zhu Min possui uma rica experiência no governo e no setor financeiro e eu aguardo por seus conselhos", disse Strauss-Kahn em comunicado. "Como conselheiro especial, ele desempenhará um papel importante trabalhando comigo e minha equipe de gestão para superar os desafios que enfrentaremos em nossa qualidade de filiados globais e no fortalecimento do entendimento do Fundo sobre a Ásia e os mercados emergentes em geral", acrescentou a nota.

 

A nomeação do representante do banco central chinês para conselheiro especial do FMI fortalecerá a cooperação entre a instituição e as nações emergentes, disse a embaixada da China na capital norte-americana. "Eu diria que a China comemora a indicação de Zhu, o que, esperamos, ajudará a fortalecer a cooperação entre as economias emergentes, incluídas as da Ásia, e o FMI, contribuindo para o crescimento sustentável da economia mundial e a estabilidade financeira internacional" disse o porta-voz da embaixada, Wang Baodong.

 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FMI, China, Banco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.