FMI prevê crescimento constante na AL, mas alerta sobre protecionismo

O fundo prevê que América Latina e Caribe cresçam cerca de 3,75% este ano

Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

20 de abril de 2012 | 16h11

Os preços elevados das commodities e do abrandamento da política monetária nas economias avançadas devem sustentar um crescimento econômico estável na América Latina, informou o Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta sexta-feira. Membros do fundo alertaram, porém, para o risco potencial de superaquecimento e para as ameaças resultantes de políticas protecionistas.

"Ainda estamos em um mundo perigoso, mas ventos favoráveis continuam presentes em grande parte da nossa região", disse Nicolas Eyzaguirre, diretor do FMI para a América Latina.

O fundo prevê que América Latina e Caribe cresçam cerca de 3,75% este ano. O crescimento recente e as expectativas positivas para este ano nos países da região - particularmente naqueles que se beneficiam de exportações robustas - dão à região a  oportunidade de assegurar sua saúde fiscal e econômica daqui para frente, analisou Eyzaguirre.

Uma preocupação importante para membros do FMI é o risco de países emergentes da AL adotarem medidas protecionistas, em resposta a decisões tomadas por economias avançadas como a dos EUA. Para Eyzaguirre, tal reação deve ser evitada, pois, apesar de trazer alívios imediatos, "pode trazer consequências negativas a médio prazo". As informações são da Dow Jones 

Tudo o que sabemos sobre:
FMIpreços

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.