Divulgação
Divulgação

Foco e ajustes na gestão garantem sobrevida aos novos negócios

Planos das empresas devem passar por correções nos primeiros meses de operação para se evitar problemas criados pela má gestão

BRUNO DE OLIVEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO

16 Dezembro 2014 | 06h55

Os primeiros meses de funcionamento da empresa são marcados por ajustes no plano de negócios traçado durante o período de concepção da ideia. É nessa fase, com as coisas acontecendo na prática, que o empreendedor precisa ficar atento aos pontos que não foram considerados no planejamento inicial e fazer as manobras necessárias para a PME continuar no curso certo.

"A maioria dos casos de empresas que começam a sofrer com questões que não estavam previstas no planejamento é reversível. Contudo, os problemas que aparecem nos primeiros meses da companhia tem origem na má gestão, e isso é preocupante", diz Arthur Eugênio Furtado Achoa, gerente do escritório regional do Sebrae-SP.

Segundo pesquisa realizada neste ano pela Fundação Dom Cabral, 25% das empresas fecham as portas em até 12 meses do início das atividades e apenas metade sobrevive aos primeiros quatro anos de operação. Entre as razões que contribuem para a construção deste cenário no País está o gerenciamento inadequado.

"Um baixo nível de gestão, nesta fase especificamente, dá margem para que o atendimento seja feito de uma maneira insatisfatória ou para o surgimento de equívocos no momento de formar uma base de fornecedores, causando um esfeito dominó que vai culminar com o enfraquecimento do negócio", explica o consultor.

Na pressa de gerar lucro, muitos empreendedores acabam mudando o foco do negócio ou diversificam demais os produtos, abandonando as ideias iniciais. Para Bel Pesce, fundadora da escola de empreendedorismo FazINOVA, a validação do produto oferecido pela empresa é um ponto importante previsto no plano de negócio que não pode ser abandonado ou enfraquecido durante os primeiros meses de vida do empreendimento.

"A melhor estratégia neste momento é continuar focado em validar o produto, ou seja, se ele foi bem desenhado para a necessidade do público que se quer atingir, se ele está completo, se tem qualidade e atinge as expectativas do mercado", detalha Bel.

Outra medida que é apontada pela empreendedora como um ajuste possível de ser feito quando a empresa já está em funcionamento é buscar maneiras novas de conseguir cliente e manter os que já existem. "Explorar canais de distribuição diferentes é também algo importante nesta fase. Assim, é possível testar as maneiras de reação do cliente no momento das vendas e ajustar onde é necessário", completa.

O monitoramento dos resultados da empresa é apontado como uma maneira eficaz de verificar onde são necessários ajustes. No entanto, ainda são poucas as empresas que adotam a inovação como um fator de redução de riscos e aumento de eficiência operacional, revela Arthur Achoa, do Sebrae. O uso de ferramentas de gestão é algo ainda visto como um investimento alto por pequenas e médias empresas.

A BrGoods, empresa que fabrica cortinas divisórias e acabamentos, decidiu investir em um sistema de gestão de clientes para suportar um crescimento acentuado de pedidos. Com a adoção da ferramenta tecnológica, ela passou a ter processos mais seguros de entrega de produtos aos seus clientes.

"Já houve casos de pedidos que tivemos de recusar porque não tínhamos como entregar ao cliente. Quando a empresa passa por um crescimento rápido, o número de processos aumenta e também o volume de dados. Isso tudo tem de ser monitorado semanalmente aqui para que enxerguemos onde um ajuste precisa ser feito antes que ocorra algum problema", diz Beatriz Alves Cricci, diretora-executiva da empresa.

O sistema adotado pela BrGoods é o de gestão de relacionamento com o cliente (CRM, na sigla em inglês). Com ele, as empresas automatizam as funções de contato com o cliente, como compras, transações financeiras, atendimento e retenção.

"Por mais que se planeje uma estratégia de exploração do mercado, algo sempre fica de fora. Entretanto, se todos tiverem acesso às informações da empresa, fica mais fácil ajustar procedimentos de maneira antecipada com menos impacto sobre o negócio", finaliza a executiva.

SERVIÇO

Feira do Empreendedor

Local: Pavilhão Anhembi Parque

Endereço: Avenida Olavo Fontoura, 1209 - Santana, São Paulo/SP

Data: de 07 a 10 de fevereiro

Sábado a terça-feira: das 10h às 21h

Entrada franca Inscrições no site: feiradoempreendedor.sebraesp.com.br  

Mais conteúdo sobre:
SebraeEmpreendedorismoNegócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.