Ford comunica recall de 166,4 mil veículos Ka

Medida foi motivada pela possibilidade de interferência do chicote elétrico do veículo com pontos da carroceria localizados no compartimento do motor e painel de instrumentos

Agência Estado,

21 de maio de 2010 | 12h39

A Ford convocou nesta sexta-feira, 21, proprietários de 166.460 veículos Ford Ka modelos 2008, 2009 e 2010 a entrarem em contato a partir da próxima segunda-feira,24, com a rede de concessionárias autorizadas da marca para inspeção e reparo dos carros.

O recall, divulgado nesta sexta pela Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP), vale para os modelos 2008 (com todos os números de série do chassi), 2009 (com todos os números de série dos chassis) e 2010 com os números de série dos chassis até AB203702. O chamamento envolve veículos adquiridos da concessionária ou de pessoa física.

Ao Procon, a empresa informou que foi constatada a possibilidade de interferência do chicote elétrico do veículo com pontos da carroceria localizados no compartimento do motor e painel de instrumentos. O atrito entre estes componentes pode ocasionar danos no isolamento dos fios que compõem o chicote.

Há risco de queima de fusíveis, inoperância de itens de segurança do veículo, como faróis, setas direcionais e limpadores do para-brisa, e, em caso extremo, de curto-circuito e princípio de incêndio no compartimento do motor. Durante o recall as concessionárias vão fixar os chicotes com isoladores na carroceria.

De acordo com o Procon, por haver de possibilidade de acidente com risco à saúde e à segurança dos usuários, o atendimento deve ser imediato. Se o consumidor enfrentar dificuldades, deve procurar um órgão de defesa do consumidor. O Procon atende pelo telefone 151 e presta informações pelo site. Para outras informações, os proprietários devem telefonar para 0800 703 3673 ou acessar a página da empresa na internet.

Texto atualizado às 14h10 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.