Ford deverá indenizar RS em R$ 162 mi

A Justiça determinou que a Ford devolva ao Rio Grande do Sul R$ 162 milhões, acrescidos de atualização monetária, por ter desistido de instalar uma montadora em Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre, em 1999.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

29 de maio de 2013 | 09h01

A decisão, tomada pela juíza de Direito Lílian Cristiane Siman, da 5ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central de Porto Alegre, foi tornado pública ontem (28). O caso não está encerrado porque as duas partes podem recorrer às instâncias superiores.

Pelo contrato assinado em 1998 com o governo de Antônio Britto (PMDB), a Ford receberia financiamento de R$ 210 milhões, liberado em parcelas, mediante prestação de contas, além de outros incentivos, para instalar a montadora. Em 1999, após ter recebido a primeira parcela e já no governo de Olívio Dutra (PT), a empresa se retirou do negócio e foi para a Bahia alegando motivos de ordem política e reclamando de atraso no repasse da segunda parcela.

O governo gaúcho foi à Justiça pedir a devolução do que já havia entregue à empresa.

O procurador-geral adjunto do Estado, Bruno de Castro Winkler diz que a decisão é um passo importante porque reconhece parcialmente a tese do Estado de que os recursos repassados não foram utilizados para os fins aos quais estavam destinados. A Ford não se manifestou até o fechamento desta reportagem.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
FordindenizaçãoRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.