Forte crescimento do crédito na China levanta riscos econômicos, diz Banco do Povo

'Liquidez excessiva, inflação, bolhas de ativos, aumentos periódicos nos empréstimos inadimplentes e outros riscos macroeconômicos vão aumentar', disse o presidente do PBOC

Danielle Chaves, da Agência Estado,

21 de outubro de 2010 | 10h05

O presidente do Banco do Povo da China (PBOC, na sigla em inglês), Zhou Xiaochuan, alertou que o forte crescimento do crédito no país está levantando vários riscos econômicos, incluindo inflação e bolhas de ativos. O forte crescimento doméstico do crédito e os fluxos de liquidez entre os países carregam "riscos ocultos", disse Zhou em um discurso publicado no website do banco central.

"Liquidez excessiva, inflação, bolhas de ativos, aumentos periódicos nos empréstimos inadimplentes e outros riscos macroeconômicos vão aumentar", afirmou. Os comentários de Zhou dão um sinal sobre os riscos que levaram o PBOC a elevar as taxas de juros nesta semana.

O comunicado publicado no site não continha uma data de quando o discurso foi escrito, mas informava que ele foi feito em uma reunião entre o Fundo Monetário Internacional (FMI) e vários representantes de bancos centrais realizada em Xangai na segunda-feira.

A China está reforçando a supervisão de instituições financeiras importantes para o sistema, disse Zhou. Uma política macroeconômica cautelosa também é um bom remédio para os riscos sistêmicos, segundo a autoridade. O governo chinês ainda precisa desenvolver mecanismos para controle contracíclico do crédito, acrescentou Zhou.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Banco CentralBanco do PovoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.