Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fraca recuperação na Europa pode levar a corte de ratings, diz Moody's

Agência rebaixou o rating da Grécia em junho, de Portugal e Irlanda em julho, e o rating da Espanha Aaa está em revisão para possível rebaixamento

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

23 de agosto de 2010 | 11h28

O crescimento econômico mais lento pode resultar em rebaixamento dos ratings de crédito de países europeus, uma vez que a habilidade dos Estados em absorver choques adicionais diminuiu, diz um relatório semestral de perspectivas soberanas europeias da agência Moody's.

"Se ficar evidente que a recuperação está mais fraca do que o antecipado, então poderá haver novas ações (de rebaixamento de rating)", disse a vice-presidente e analista sênior da Moody's, Kathrin Muehlbronner. A Moody's rebaixou o rating da Grécia em junho, de Portugal e Irlanda em julho, e o rating da Espanha Aaa está em revisão para possível rebaixamento.

"A Espanha é o único país onde temos uma clara previsão sobre o rating, que está em revisão, e esperamos concluir a revisão até o final de setembro", afirmou a analista.

Enquanto o crescimento no mundo deve continuar limitado pela crise financeira, a Europa, provavelmente, terá desempenho inferior ao das demais regiões do mundo, em consequência do atual processo de desalavancagem e do aperto fiscal simultâneo na maior parte dos países, diz a Moody's.

"Diante da magnitude do desafio fiscal e da necessidade de sustentação da política de aperto fiscal durante vários anos, o risco para o crescimento econômico é claramente de baixa para os ratings soberanos", diz a Moody's. A agência pondera que no médio prazo as medidas de aperto fiscal poderão ter impacto positivo, se a consolidação influenciar favoravelmente a confiança do mercado. A Moody's adverte, ao mesmo tempo, que é preciso cautela, uma vez que as taxas de juro estão muito baixas nesse momento e tal processo de aperto fiscal simultaneamente em vários países não tem precedente.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
crescimentoeconomiacréditoMoody's

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.