França reitera parceria com Alemanha em reação à crise

Segundo ministro das Finanças francês país, procura uma solução profunda, estável e duradoura para a zona do euro

Clarissa Mangueira e Danielle Chaves, da Agência Estado,

19 de outubro de 2011 | 14h44

O ministro das Finanças francês, François Baroin, afirmou nesta quarta-feira, 19, que a Alemanha e a França continuam a trabalhar juntos em sua promessa de apresentar uma solução para a crise da dívida da zona do euro. "Nós estamos trabalhando enormemente com os alemães para encontrar uma solução real e coordenada", afirmou Baroin durante evento em Frankfurt para marcar a aposentadoria de presidente do Banco Europeu Central (BCE), Jean-Claude Trichet.

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, conversaram por telefone para discutir o plano, que incluiria a maximização dos recursos da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês), recapitalização de bancos europeus e uma solução duradoura para a Grécia.

De acordo com uma fonte da União Europeia, a Alemanha e a França estão em total acordo na opinião de que a EFSF não poderá alavancar seus ativos por meio de empréstimos do Banco Central Europeu (BCE).

A fonte disse estar confusa com relatos de que as conversas estão emperradas por causa de incertezas sobre um consenso franco-alemão para descartar qualquer acesso da EFSF a recursos do BCE.

"Nós discutimos todos os cenários possíveis e qualquer acesso da EFSF ao BCE está fora das negociações", disse a autoridade. "Esses relatos confundem porque significariam que todo o trabalho que fizemos durante as últimas semanas foi desfeito. Nós temos um consenso sobre esse assunto e não houve mudanças", afirmou.

A Alemanha e a França estão correndo para finalizar as negociações sobre a EFSF antes da cúpula de líderes da União Europeia, no domingo, dia 23. As duas maiores economias da zona do euro prometeram apresentar uma solução abrangente para a crise de dívida da região até o fim deste mês.

"A França quer uma solução que seja profunda, estável e duradoura, um acordo que seja verdadeiramente sólido", afirmou o ministro das Finanças francês. Ele também disse que quer uma solução "estável e duradoura para a Grécia".

Despedida

Sarkozy viajou para Frankfurt nesta tarde para participar de uma reunião informal não programada com autoridades do governo da Alemanha, da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI), de acordo com um porta-voz da presidência francesa. Ele vai conversar com a chanceler da Alemanha.

Também estarão no encontro o ministro de Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble; o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy; o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso; e a presidente do FMI, Christine Lagarde.

Todos estarão reunidos para a cerimônia de despedida do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet. Mário Draghi, que vai assumir o lugar de Trichet em novembro, também estará no encontro, segundo o porta-voz francês.

 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EuropacriseFrançaAlemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.