Francês Credit Agricole fecha área de trading de commodities

O banco francês Credit Agricole vai parar com negociações de derivativos de commodities e reduzirá o financiamento para operações com commodities após ter alertado para perdas em meio às dificuldades com a crise da zona do euro, disseram fontes próximas à instituição nesta quinta-feira.

REUTERS

15 de dezembro de 2011 | 12h35

As operações de trading de commodities do Credit Agricole contavam com aproximadamente 100 pessoas em várias cidades, incluindo traders, analistas e pessoal de apoio.

"Eles estão fechando completamente a área de derivativos de commodities", afirmou uma fonte.

Outra fonte disse que muitos dos funcionários do banco nesta área ficaram sabendo do fechamento apenas na quarta-feira e que a decisão do banco foi rápida e inesperada.

O Credit Agricole, que nos últimos anos abandonou suas origens agrícolas em busca de crescimento no mercado internacional, informou na quarta-feira que deixaria 21 dos 55 países em que atua e que fecharia unidades de negócio inteiras.

Detalhes das mudanças começaram a aparecer nesta quinta-feira.

As negociações de derivativos de commodities do banco focavam principalmente petróleo, gás natural, metais e commodities softs e eram feitas de maneira geral a partir de Londres e de Hong Kong.

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCREDITAGRICOLE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.