Frango: Brasil pode se tornar maior exportador em volume e receita

Rio, 27 - As exportações brasileiras de frango poderão atingir 2,2 milhões de toneladas até o fim deste ano, montante de 8% a 10% acima do registrado no ano passado. O resultado conduziria a um faturamento da ordem de US$ 2,35 bilhões ao término de 2004, cifra de 15% a 20% superior ao observado ao final de 2003. As informações são do diretor-executivo da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frango (Abef), Claudio Martins. Segundo ele, caso estas estimativas se confirmem, o Brasil se tornará o maior exportador de frango do mundo em volume e em receita. O executivo atribuiu ao bom desempenho do País vários fatores positivos, como o baixo custo de produção do frango e a boa qualidade da carne brasileira. Durante o 6º Congresso Brasileiro de Agribusiness, que se encerra hoje no centro de convenções do Riocentro, no Rio de Janeiro, Martins considerou que o perfil das exportações de frango brasileiras, em comparação com o seu maior competidor, que são os Estados Unidos, só corrobora o esforço que o empresariado do setor tem feito para entrar no mercado internacional. "Diferente do que ocorre nos Estados Unidos, o frango brasileiro nunca foi subsidiado", observou. Segundo dados da Abef, as exportações brasileiras de carne de frango em julho somaram 206 mil toneladas, com crescimento de 52% ante julho de 2003. A receita cambial com as vendas externas no mês atingiu US$ 224,5 milhões, o que corresponde a um aumento de 76% sobre o mesmo mês do ano passado. No acumulado de janeiro a julho deste ano, as exportações brasileiras de carne de frango chegaram a 1,340 milhões de toneladas, montante 25,5% acima do verificado nos primeiros sete meses de 2003. Já a receita cambial com as exportações no período somou US$ 1,453 bilhão, cifra 58% acima do registrado no período de janeiro a julho de 2003. (Alessandra Saraiva) O diretor-executivo da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frango (Abef), Claudio Martins, classificou como positivas as perspectivas de crescimento no mercado interno de consumo de carne de frango no Brasil. Segundo ele, o crescimento demográfico do País, aliado à sinalização de um possível aumento na distribuição de renda do trabalhador, deve garantir à indústria brasileira de frango um bom nicho de mercado da demanda interna do Brasil. Martins calcula que, em 2010, o consumo anual brasileiro de carne de frango deve atingir 7,4 milhões de toneladas. Ao final de 2004, a expectativa da Abef é de que o consumo de frango alcance 6,271 milhões de toneladas ao ano, ante os 6 milhões de toneladas ao ano, observados ao término de 2003, ou seja, caso se confirme, o consumo de carne de frango no Brasil pode atingir crescimento de 4,5% em 2004 ante o ano passado. O executivo participou do 6º Congresso de Agribusiness, que se encerra hoje no centro de convenções do Riocentro, no Rio de Janeiro. (Alessandra Saraiva)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.