Frango: professor defende uso racional de antimicrobianos

Porto Alegre, 13 - Os antimicrobianos são indispensáveis na criação de aves e suínos, mas seu uso deve ser racional para evitar o desenvolvimento de resistência em bactérias relevantes à saúde humana, sugeriu hoje o professor de farmacologia aplicada e toxicologia da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo, João Palermo Neto. Em palestra no X Encontro da Qualidade Industrial, promovido pela Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), Ministério e Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul, Palermo Neto defendeu a prescrição veterinária compulsória para o uso de medicamentos nas criações de animais. Ele disse que é preciso pensar na possibilidade de retenção das receitas médicas veterinárias no momento da venda, como ocorre com alguns medicamentos utilizados na saúde humana. Palermo Neto avaliou que a qualidade do frango brasileiro é "muito boa" e lembrou que os Ministérios da Agricultura e da Saúde fazem análises para resíduos de antimicrobianos nos produtos coletados nos pontos de abate e de distribuição, respectivamente. Para ele, contudo, seria importante realizar um levantamento abrangente sobre a presença de bactérias resistentes aos antibióticos nos produtos. Ele observou que o governo já tem este estudo planejado, mas o trabalho ainda não começou. Por enquanto, foram feitas análises de forma isolada, citou o professor. O X Encontro da Qualidade Industrial prossegue nesta terça-feira (14) com palestras sobre a qualidade nos frigoríficos avícolas, a situação da influenza aviária no mundo e os rumos da sanidade avícola no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.