Mundo Verde
Mundo Verde

'Franqueados vão ajudar a entregar as vendas do e-commerce', diz presidente da Mundo Verde

A varejista prevê faturar R$ 600 milhões neste ano

Entrevista com

Charles Martins, presidente da rede Mundo Verde

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2018 | 12h29

A rede de produtos saudáveis Mundo Verde, que pertence à holding Sforza, da família do empresário Carlos Wizard Martins, adquiriu o site Natue, plataforma de e-commerce de itens de apelo natural, na semana passada. Segundo Charles Martins, filho de Carlos Wizard e presidente da Mundo Verde, a aquisição será a porta de entrada para a companhia nas vendas pela internet. A Mundo Verde prevê faturar R$ 600 milhões neste ano.

A ideia é usar a Natue – que vende hoje 2,5 mil itens e fatura cerca de R$ 18 milhões por ano – como o catalisador da integração do Mundo Verde ao e-commerce. Com 400 lojas no País, a rede ainda não tem presença relevante na web. O objetivo, segundo o presidente da varejista, é que os pontos de venda físicos passem a servir como uma rede de distribuição também para as compras realizadas pela internet.

Como a Natue se encaixa na estratégia da Mundo Verde?

A Natue é líder em venda de produtos saudáveis na internet e tem faturamento de R$ 18 milhões por ano. Foi uma oportunidade que surgiu para a gente entrar no comércio eletrônico. 

Como a Mundo Verde vai participar da estratégia da Natue?

Temos hoje 400 pontos de venda, que poderão ser usados como pontos de distribuição para os produtos que serão vendidos pela internet. Desta forma, vamos envolver os nossos franqueados diretamente no e-commerce. Vai ser bom para eles, porque eles vão ter esse faturamento extra, e também para o consumidor, que receberá a compra mais rápido – em alguns casos, em poucas horas. É bem mais rápido do que fazer a entrega por meio de um centro de distribuição localizado em um grande centro.

Como será a estratégia de marca? A Natue continua a existir ou será incorporada à Mundo Verde?

Haverá referência à Mundo Verde, como “Natue by Mundo Verde”. Mas essa estratégia ainda não está definida e por enquanto seguimos com a Natue. Deveremos contratar uma consultoria de branding para decidir se manteremos a Natue ou mudaremos para Mundo Verde.

Qual é a estratégia atual de crescimento da Mundo Verde? A rede vai ganhar fôlego em 2019?

Reduzimos um pouco o ritmo de expansão neste ano, mas devemos voltar a crescer mais rapidamente a partir do ano que vem, com o objetivo de colocarmos mais 50 a 70 pontos de venda em operação, ou 10% a 12% de nossa base. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.