Funcionários da Eletrobrás fazem paralisação de 48h

Os funcionários do sistema Eletrobrás iniciaram hoje uma paralisação de 48 horas. A principal reivindicação dos trabalhadores é um reajuste salarial de 11,2%. Segundo a Associação dos Empregados da Eletrobrás (Aeel), a empresa oferece apenas 6,51%, porcentual referente ao acumulado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A entidade estima que cerca de 80% dos funcionários de todo o País tenham aderido à paralisação.

GLAUBER GONÇALVES, Agencia Estado

20 de julho de 2011 | 12h53

De acordo com o diretor da Aeel Emanuel Mendes Torres, nos setores de operação e manutenção, os funcionários estão trabalhando em esquema especial para garantir que não haja cortes de energia. O dirigente afirmou que a entidade decidiu pela paralisação porque a Eletrobrás não estaria disposta a dialogar com os trabalhadores, depois que três reuniões terminaram em impasse.

Torres disse ainda que, se a empresa não reabrir um canal de negociação, os funcionários farão uma nova greve, de 72 horas, e em última instância, uma por tempo indeterminado. "É preciso dialogar, o que não está ocorrendo. Não é nossa vontade radicalizar", disse Torres, acrescentando que não há nenhuma reunião prevista com a Eletrobrás.

Um grupo de trabalhadores se reuniu no começo da tarde em um ato em frente à sede da Eletrobrás, no centro do Rio. A reportagem não conseguiu contatar a assessoria de imprensa da Eletrobrás para comentar o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.