Funcionários da Eletrobrás param por 24 horas por reajuste

Segundo sindicato dos eletricitários, greve se deve à falta de uma contraproposta ao pedido de aumento de 11,2% da categoria 

Reuters,

23 de maio de 2011 | 13h46

Funcionários da Eletrobrás realizam nesta segunda-feira, 23, uma greve de advertência de 24 horas com o objetivo de alertar os diretores da estatal sobre a necessidade de uma proposta salarial.

Segundo o diretor do Sindicato dos Eletricitários do Rio de Janeiro, Emanuel Mendes Torres, a greve se deve à falta de uma contraproposta ao pedido de aumento de 11,2% da categoria. A direção se reúne com os sindicalistas na próxima quinta-feira, em Brasília.

Ele informou ainda que estão sendo feitos piquetes em unidades da empresa pelo Brasil nessa segunda-feira para impedir a entrada dos empregados ou troca de turnos, mas nenhum serviço prestado pela holding da geração elétrica será afetado.

"É uma greve de advertência porque não houve por parte da direção nenhuma contraproposta à nossa reivindicação", disse à Reuters o diretor.

Ele informou que em reunião realizada com a direção da companhia, há duas semanas, foi proposto pelos empregados aumento de 11,2% a partir de 1º de maio, data-base da companhia.

O índice seria uma composição da inflação medida pelo IPCA no período (6,68%) e 4,7%referente ao aumento do consumo de energia nos últimos três anos, pedido recorrente e nunca atendido da categoria em épocas de dissídio.

No ano passado, os empregados da Eletrobras conseguiram reajuste por IPCA mais 1% de ganho real.

"Queremos pelo menos forçar a empresa a levar uma contraproposta e dar um reajuste nos patamares dos últimos anos", disse o sindicalista.

(Por Denise Luna)

Tudo o que sabemos sobre:
Eletrobrásgreveempregadosreajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.