Fundecitrus cobra do governo verba para controle da morte súbita

Ribeirão Preto, 6 - O presidente do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), Ademerval Garcia, disse hoje que se o governo federal não liberar em breve os R$ 2,5 milhões prometidos à entidade de pesquisa, a varredura para avaliar a incidência da morte súbita dos citros pode ser prejudicada. O anúncio da liberação da verba federal foi feito no último dia 27 de agosto pelo diretor do Departamento de Defesa e Inspeção Vegetal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Girabis Ramos, durante reunião do conselho do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), em Araraquara (SP). "A verba para a MSC deveria ser liberada ainda em setembro, mas não tivemos mais nenhum sinal de que isso irá ocorrer em breve", disse Garcia. Os R$ 2,5 milhões deverão ser utilizados para a contratação de 500 inspetores que farão uma varredura completa nos pomares da região norte do Estado de São Paulo. A região centraliza a maioria dos casos de MSC, doença presente ainda no noroeste de São Paulo e Triângulo Mineiro. "Se demorar muito para a liberação, o trabalho perderá o sentido, porque começará a temporada de chuva", completou Garcia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.