Fusão da Volkswagen com Porsche enfrenta atraso por investigação

A Porsche desagradou investidores nesta quinta-feira ao afirmar que a planejada fusão com a Volkswagen enfrenta novos atrasos por conta de uma investigação criminal contra seu ex-presidente executivo e diretor financeiro.

REUTERS

24 de fevereiro de 2011 | 12h25

As ações da Porsche despencavam mais de 11 por cento depois que a montadora alemã afirmou que agora há uma chance de apenas 50 por cento de da empresa ser absorvida pela Volkswagen neste ano.

"Muitos investidores e gestores de ativos acreditam que quanto mais tempo levar para a fusão começar, menores são as chances de sucesso", afirma Markus Huber, operador sênior da ETX Capital.

A Porsche tentou em 2009 assumir o controle da Volkswagen usando complexos derivativos financeiros, mas abandonou o plano quando sua dívida se acumulou, o que forçou a empresa a aceitar ser adquirida pela rival maior e a trocar sua equipe de administração.

Promotores em Stuttgart afirmaram que ampliaram a investigação contra o ex-presidente executivo da Porsche Wendelin Wiedeking e contra o ex-vice-presidente financeiro Holger Haerter, e que não vão completar os inquéritos antes do final do ano.

Os executivos estão sendo investigados por acusações de manipulação das ações da Volkswagen no mercado e também são alvo de um processo nos Estados Unidos aberto por fundos de hedge.

(Por Jan Schwartz e Josie Cox)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSVOLKSPORSCHEFUSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.