Fusões e aquisições no Brasil têm o melhor 1º tri da história, diz KPMG

Foram 204 operações, uma avanço de 22% em relação ao mesmo período do ano passado

20 de abril de 2012 | 11h34

As atividades em fusões e aquisições no Brasil seguiram fortes no primeiro trimestre de 2012, com 204 operações, segundo a Pesquisa de Fusões e Aquisições realizadas pela KPMG. Este é o melhor resultado da série histórica iniciada em 1994 para o acumulado nos três primeiros meses de um ano. O avanço foi de 22% em relação ao mesmo período do ano passado, mas inferior em quantidade ao do último trimestre de 2011, quando houve 211 transações.

A participação estrangeira no período foi marcante: 99 operações envolveram organizações de fora do País na ponta compradora. Foram 74 operações de aquisição de capital de brasileiros no País e outras 25 adquirindo participação de estrangeiros em empresas estabelecidas no Brasil.

Já o número de fusões e aquisições domésticas, feitas exclusivamente entre empresas brasileiras, foi o mesmo registrado no primeiro trimestre de 2011: 82.

Como vem acontecendo nos últimos anos, o setor de TI foi, novamente, o que totalizou o maior número de negócios, somando 27 transações - cinco a mais que no mesmo período do ano passado. Destacam-se os avanços nos negócios entre empresas do setor de Energia (que cresceram 140% em relação ao início de 2011) e Telecomunicações e Mídia (que aumentaram em 156%).

Tudo o que sabemos sobre:
fusõesaquisições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.