G-20 salvou 21 milhões de empregos com medidas anticrise, diz OIT

Estudo reconhece, no entanto, necessidade de uma consolidação fiscal para garantir a recuperação econômica

Reuters,

19 de abril de 2010 | 16h10

Os países do G-20 salvaram ou criaram 21 milhões de empregos em 2009 e 2010 com as políticas para lidar com a crise econômica, disse uma agência da Organização das Nações Unidas nesta segunda-feira, 19.

 

Um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) pediu ao governantes do G-20 para não acionarem as estratégias de saída das medidas extraordinárias de estímulo prematuramente.

 

O estudo, preparado para um encontro dos ministros do Trabalho e Emprego em Washington nos dias 20 e 21 de abril, reconhece, contudo, a necessidade de uma consolidação fiscal.

 

"O crescimento permanece frágil e a demanda do setor privado segue fraca em muitos países", disse a OIT.

 

"Medidas que deem suporte à proteção social e ao emprego devem ser mantidas até que o crescimento do emprego ganhe um fôlego mais significativo", diz o organismo em comunicado sobre o estudo.

 

Condições fracas no mercado de trabalho que acumularam desde a segunda metade de 2008 permanecem elevadas no primeiro trimestre de 2010, apesar do início da recuperação econômica.

 

(Reportagem de Jonathan Lynn)

Tudo o que sabemos sobre:
OITcriseG-20estudoemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.