Galaxy S4 da Samsung já vendeu 10 milhões de unidades

Aparelho da Samsung alcançou o posto de eletrônico com maior velocidade de vendas da história

Reuters,

24 de maio de 2013 | 10h13

SEUL - A Samsung Electronics anunciou que as vendas do seu mais recente telefone móvel, o Galaxy S4, alcançaram a marca de 10 milhões de unidades vendidas desde o lançamento no fim de abril, o que coloca o modelo de telefone inteligente no primeiro lugar da lista dos aparelhos com maior velocidade de vendas.

O S4 é a resposta da empresa sulcoreana ao iPhone, da Apple. O aparelho já é vendido em 60 países e a Samsung, maior fabricante de telefones inteligentes do mundo, disse que planeja expandir sua venda para 327 operadoras de 155 países nas próximas semanas.

 O sucesso das vendas do Galaxy S se confirma apesar de problemas de fornecimento que atrapalharam o lançamento nos Estados Unidos por algumas empresas de telefonia.

Analistas calculam que as fortes vendas da quarta versão do Galaxy, que levaram a Samsung a faturar cerca de US$ 225 bilhões desde o lançamento em 2010, ajudaram a empresa a obter lucros recordes nos últimos meses.

Apesar de variadas críticas ao S4 por parte de especialistas, a Samsung se beneficia de uma forte campanha publicitária enquanto busca expandir sua participação no mercado diante da ausência de novos modelos da rua rival Apple.

No primeiro trimestre deste ano, a Samsung alcançou uma histórica participação de 33% no mercado de telefones inteligentes, e analistas do JP Morgan estimam que seus ganhos operativos no trimestre superaram os da Apple pela primeira vez em cinco anos.

O comercial abaixo, produzido para o lançamento nos Estados Unidos, mostra algumas das possibilidades do novo aparelho.

S4 no Brasil

Veja abaixo o vídeo de lançamento do Samsumg Galaxy S4 pela operadora Claro, na campanha de lançamento da telefonia móvel de quarta geração (4G). As imagens foram feitas pelo fotógrafo lituano Tadao Cern, especialista em utilizar ventos de até 300km/h para captar as emoções das pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.