Galp e Petrobras confirmam potencial de poço em Tupi

A Galp Energia informou hoje à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM, a CVM de Portugal, que a perfuração no Brasil do nono poço do bloco BM-S-11, em águas profundas da Bacia de Santos, na área de Tupi, confirmou o potencial de petróleo leve e gás natural recuperável nos reservatórios do pré-sal daquela área, estimado entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris de petróleo equivalente. A Galp Energia tem uma participação de 10% no consórcio que explora o BM-S-11. A Petrobras, que é a operadora, possui 65% e a BG Group, 25%. A Petrobras também confirmou as informações.

AE, Agencia Estado

22 de outubro de 2010 | 11h32

Segundo comunicado da Galp, o poço comprovou que a acumulação de petróleo se estende até o extremo Sul da área do plano de avaliação de Tupi e também que a espessura do reservatório com petróleo chega a cerca de 128 metros. Isso, de acordo com a empresa, reduz as incertezas das estimativas de volume de hidrocarbonetos da área.

"O resultado da perfuração do novo poço reveste-se de grande importância porque definiu, entre outras variáveis, o nível do contato petróleo/água no prospecto, que indicou a maior espessura de rocha com petróleo para esta área entre as possibilidades estudadas. Além do grande volume recuperável estimado, o petróleo do Tupi tem uma densidade de 28º API, o que lhe confere excelente valor comercial", informou o comunicado da companhia.

A declaração de comercialidade está prevista para 31 de dezembro de 2010, sendo que, até lá, serão perfurados dois poços de delimitação. O novo poço, informalmente conhecido como Tupi SW, foi perfurado em lâmina de água de 2.152 metros, a cerca de 290 km da costa do Estado do Rio de Janeiro e a 11 km a Sudoeste do poço Tupi Sul, onde é realizado o teste de longa duração nos reservatórios do pré-sal na Bacia de Santos.

A produtividade dos reservatórios do pré-sal no poço perfurado será avaliada por meio da realização de testes de formação programados para os próximos meses. Confirmando-se as produtividades esperadas, o consórcio do BM-S-11 estudará a instalação, no sul da área de Tupi, de um dos primeiros navios-plataforma padronizados, projetados para operar no pré-sal da Bacia de Santos, informa a Galp. O consórcio dará continuidade às atividades e aos investimentos previstos no Plano de Avaliação aprovado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Nesta mesma bacia, a Galp Energia detém participações em outros três blocos: BM-S-8 (14% de participação), BM-S-21 (20%) e BM-S-24 (20%).

Petrobras

A Petrobras distribuiu um comunicado confirmando a conclusão da perfuração do nono poço de petróleo na área de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos. Segundo a estatal brasileira, o poço comprova que a acumulação de petróleo se estende até o extremo sul da área do Plano de Avaliação de Tupi. Além disso, a espessura do reservatório com óleo chega a cerca de 128 metros, o que reduz as incertezas das estimativas de volume de hidrocarbonetos da área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.