Gasto do consumidor e Espanha derrubam Wall Street

As bolsas de valores dos Estados Unidos caíram nesta sexta-feira, encerrando o pior mês em mais de um ano, depois que a Fitch rebaixou o rating da Espanha e acentuou as preocupações com os problemas de dívida da zona do euro.

CHUCK MIKOLAJCZAK, REUTERS

28 de maio de 2010 | 18h11

O Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 1,19 por cento, para 10.136 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,91 por cento, para 2.257 pontos. O Standard & Poor's 500 perdeu 1,24 por cento, para 1.089 pontos.

No mês, o Dow teve queda de 7,9 por cento e o S&P 500 despencou 8,2 por cento, maiores baixas mensais desde fevereiro de 2009. O Nasdaq desabou 8,3 por cento, pior desempenho em um mês desde novembro de 2008.

O rebaixamento da Espanha foi o mais recente golpe no mês em que os índices tiveram fortes quedas por preocupações de que os problemas de dívida da Europa possam se transformar numa crise financeira global.

"Isso definitivamente assustou o mercado", disse Terry Morris, gerente sênior de ações da National Penn Investors Trust Company, na Pensilvânia.

"Até agora (os problemas se resumiam) mais à Grécia e à ameaça de Espanha, Portugal e Irlanda. Com o corte da Espanha pela Fitch, parece que (o contágio) não é mais uma hipótese, o contágio é agora real."

A Fitch reduziu o rating espanhol em um degrau, argumentando que a recuperação econômica do país será mais lenta que o previsto pelo governo devido às medidas de austeridade .

"As preocupações sobre os programas de austeridade são reais, e estão aí", afirmou Karl Mills, presidente da Jurika, Mills & Keifer Investment Partners, na Califórnia.

O rebaixamento se somou ao viés negativo imposto após dados mostrarem que o gasto do consumidor dos EUA contrariou as previsões de alta e ficou estável em abril e que o crescimento da atividade empresarial no Meio-Oeste do país desacelerou.

Investidores também aproveitaram para embolsar lucros antes de um final de semana mais longo e após um rali na sessão anterior. Os mercados norte-americanos ficarão fechados na segunda-feira devido ao feriado do Memorial Day.

Do lado positivo, as ações da Apple subiram 1,5 por cento, depois do lançamento do iPad fora dos EUA e da elevação do preço-alvo do papel -- em 25 dólares, para 325 dólares-- pelo Bank of America-Merrill Lynch.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.