Gaúcha Comil vai produzir ônibus urbanos em São Paulo

A Comil, terceira maior produtora de ônibus do País, vai construir uma fábrica em Lorena (SP), no Vale do Paraíba, um investimento de R$ 110 milhões. O grupo, de capital 100% brasileiro, tem sede em Erechim (RS), onde produz veículos rodoviários, urbanos e micro-ônibus.

CLEIDE SILVA, Agencia Estado

24 de julho de 2012 | 10h45

A nova unidade será exclusiva para ônibus urbanos e ficará pronta no segundo semestre de 2013. Deve gerar 500 empregos diretos e mil indiretos, segundo o diretor-geral da Comil, Silvio Calegaro. A capacidade de produção será de 20 veículos ao dia, a mesma da fábrica gaúcha.

No ano passado, o grupo vendeu 4,1 mil ônibus, ante 3,6 mil em 2010. Para este ano, a previsão é de repetir os números de 2011, ou ficar um pouco abaixo. Assim como ocorreu no segmento de caminhões, a mudança da tecnologia dos motores para o chamado Euro 5 (menos poluente) também levou a uma antecipação de compra de ônibus por parte dos frotistas.

Calegaro disse que Lorena foi escolhida por estar próxima aos três maiores centros consumidores urbanos do País: São Paulo, Rio e Minas Gerais, que concentram 60% das vendas da marca. ?Nossos maiores fornecedores também estão na região?, disse. A empresa recebe chassis de empresas como Mercedes-Benz e MAN e produz as carrocerias.

A Comil será a quarta fabricante de veículos a se instalar em São Paulo até o fim de 2013. Em 9 de agosto será inaugurada em Sorocaba a nova fábrica da japonesa Toyota - que já tem unidade em Indaiatuba. A filial vai produzir o compacto Etios e terá capacidade para 70 mil unidades ao ano. O investimento é de US$ 600 milhões e serão gerados 1,5 mil empregos.

Em setembro, a coreana Hyundai inicia a produção de sua primeira fábrica exclusiva no Brasil, em Piracicaba, embora a cerimônia de inauguração só vá ocorrer na primeira quinzena de novembro. Com capacidade para 150 mil unidades ao ano e investimento também de US$ 600 milhões, vai produzir inicialmente o compacto HB20. Já foram contratados 1,2 mil funcionários e até o fim do ano a meta é ter entre 1,8 mil e 2 mil trabalhadores. No fim de 2013 também entrará em operação a linha de montagem da chinesa Chery, em Jacareí. O investimento é de US$ 400 milhões para uma capacidade inicial de 50 mil carros ao ano.

Tudo o que sabemos sobre:
ComilfábricaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.