GDF Suez busca novos recursos do BNDES para Jirau

O gerente de Relações com o Mercado da IPR GDF Suez, Elio Wolff, disse que a Energia Sustentável do Brasil, empresa de fins específicos responsável pelo projeto da usina hidrelétrica de Jirau, está em negociações avançadas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para conseguir um novo financiamento. Esses recursos serão utilizados para amortizar o incremento de custos registrado na obra, orçada em R$ 15,4 bilhões.

EDUARDO MAGOSSI, Agencia Estado

27 de julho de 2012 | 12h11

A IPR GDF Suez, controladora do projeto de Jirau, já possui um outro financiamento no BNDES de R$ 7,2 bilhões para financiar a usina. Segundo Wolff, além desse crédito adicional a ser tomado junto ao BNDES, a empresa negocia com o banco de desenvolvimento uma redução no juro do financiamento anterior. Como esse crédito é remunerado pela TJLP, que foi reduzida pelo governo de 6% para 5,5% ao ano, a GDF acredita que essa queda possa ser transferida ao financiamento já tomado.

A expectativa é de que a Jirau comece a operar em janeiro de 2013, com a entrega de uma energia inicial de 1.383 MW médios. Em março de 2014, a empresa inicia a entrega de mais 209 MW médios. "Jirau já possui 73% de sua energia contratada. O restante pode ser vendido tanto em leilões regulados, quanto no mercado livre", disse o executivo. A capacidade instalada da usina é de 3.750 MW.

A IPR GDF Suez tem indicado que pretende transferir a usina de Jirau à sua controlada Tractebel antes do início de sua operação. O diretor de Relações com os Investidores da Tractebel, Eduardo Sattamini, disse que essa transferência ainda não foi discutida no conselho de administração, mas que o assunto deverá estar em pauta nos próximos quatro meses.

Tudo o que sabemos sobre:
GDFfinanciamentoBNDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.