Vincent Kessler/Reuters
Vincent Kessler/Reuters

GE vai desmembrar negócio de saúde e alienar participação na Baker Hughes

Ação divide conglomerado de 126 anos que já foi a corporação mais valiosa dos Estados Unidos

Reuters

26 Junho 2018 | 19h14

A General Electric informou nesta terça-feira que vai desmembrar os negócios de saúde e alienar sua participação na empresa de serviços de petróleo Baker Hughes, efetivamente dividindo o conglomerado de 126 anos que já foi a corporação mais valiosa dos Estados Unidos e um símbolo global do poder dos negócios norte-americanos.

A empresa vai se concentrar em motores a jato, usinas de energia e energia renovável, movimento com o qual espera recompensar os acionistas que viram os papéis perderem mais da metade do valor nos últimos 20 anos.

“Este é realmente o ponto culminante de 10 anos de observações que eu tive sobre a empresa”, disse em teleconferência o presidente-executivo John Flannery, um veterano da GE que assumiu o comando da empresa em agosto com o compromisso de renovar a empresa.

A GE disse que o plano fortalecerá o balanço, reduzindo a dívida, aumentando o caixa e encolhendo ainda mais a GE Capital. Acionistas receberão 80 por cento do valor da GE Healthcare como uma distribuição de ações isenta de impostos.

A empresa vai desmembrar a lucrativa unidade de saúde nos próximos 12 a 18 meses e vender a participação na Baker Hughes em dois ou três anos.

+ General Electric saíra do Dow Jones após mais de um século no índice

A GE provavelmente precisará realizar uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da Baker Hughes, organizar numerosas negociações em bloco de ações para investidores institucionais ou encontrar um investidor totalmente novo para adquirir sua participação, dado que os dois únicos compradores estratégicos da fatia, a Schlumberger e a Halliburton, teriam grandes riscos antitruste no mercado de serviços petrolíferos, disseram analistas.

A GE se comprometeu a preservar o dividendo de US$ 0,48 por ano até que a unidade de saúde seja desmembrada, apaziguando parcialmente os investidores que expressaram preocupação com a capacidade da empresa de pagá-los.

+ GE se alia à SIG para impulsionar inovação digital em embalagens

Os movimentos, que encerram uma revisão estratégica de um ano, refletem as mudanças que os analistas haviam buscado um ano atrás.

A GE informou que seu plano de desinvestir US$ 20 bilhões em ativos “está substancialmente completo”, resultando em uma empresa “mais simples e mais forte” que deve impulsionar o crescimento, os lucros operacionais e o retorno a acionistas

Mais conteúdo sobre:
General Electric

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.