Geithner afirma que inflação global não é uma grande preocupação

Secretário do Tesouro dos EUA disse que os mercados emergentes poderiam administrar seus problemas de inflação de uma maneira melhor se reduzissem a ligação de suas moedas com o dólar

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de janeiro de 2011 | 09h16

A inflação em um nível global "não está no topo da lista de preocupações", embora mercados emergentes de todo o mundo estejam certamente "sentindo alguma pressão", afirmou o secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner.

Durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, Geithner disse que os mercados emergentes poderiam administrar seus problemas de inflação de uma maneira melhor se reduzissem a ligação de suas moedas com o dólar - uma medida que economistas dizem que levaria, na maior parte dos casos, a uma valorização contra a moeda norte-americana.

Geithner também declarou que está "muito confiante de que o euro vai sobreviver", mas argumentou que a Europa precisa colocar em prática as reformas fiscal e estrutural que tornarão isso possível.

Com relação aos problemas fiscais dos EUA, Geithner admitiu que a posição atual é "insustentável no longo prazo" e que precisa ser trilhado um caminho confiável e de vários anos em direção à sustentabilidade. O secretário lamentou o fato de o sistema político dos EUA não ter um mecanismo para conseguir isso à força.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoGeithner

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.