General Motors recebe três ofertas pela Opel

Governo alemão definiu data limite para propostas; vencedor terá apoio estatal

Agência Estado,

20 de maio de 2009 | 10h53

A General Motors (GM) recebeu pelo menos três ofertas de possíveis investidores interessados na Opel, uma de suas operações na Europa, afirmou nesta quarta-feira, 20, um porta-voz da GM Europa. O nome dos investidores não foi divulgado.

 

O governo alemão havia estabelecido a data desta quarta-feira como prazo limite para interessados apresentarem ofertas pela montadora. A GM Europa é composta, além da alemã Opel, pela marca britânica Vauxhall e pela sueca Saab. Apenas a Opel necessita de 1 bilhão de euros (US$1,4 bilhões) para o próximo mês.

 

O porta-voz do ministro da Economia da Alemanha, Steffen Moritz, disse que a GM terá a palavra final sobre o destino da Opel, e caberá ao governo decidir que apoio estatal será oferecido ao investidor escolhido. O plano de ajuda governamental deve ser apresentado até o final de maio, informou o ministro do Trabalho da Alemanha, Olaf Scholz.

 

Com eleições nacionais previstas para o mês de setembro, políticos da coalização governamental se empenham para preservar a Opel, que emprega aproximadamente 25 mil pessoas na Alemanha, metade de toda a operação da GM na Europa.

 

Possíveis interessados

 

A italiana Fiat já demonstrou interesse na Opel e planeja integrar as operações da GM na Europa, América Latina e África do Sul em uma aliança global com sua própria unidade automotiva e a Chrysler.

 

A fornecedora de autopeças austro-canadense Magna International também sinalizou interesse na GM Europa, mas não deu detalhes de seu plano.

 

Uma fonte próxima do assunto disse ao Wall Street Journal que a RHJ International, uma empresa europeia com participações na indústria de autopeças, também estaria interessada.

 

Segundo o ministério da Economia, não há nenhum investidor preferencial na disputa e o governo pretende examinar abertamente todas as propostas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.