Gerdau investe US$835 mi para instalar laminadores em MG

O grupo siderúrgico Gerdau inaugurano segundo semestre de 2010 dois laminadores em sua unidademineira Açominas que farão com que a companhia entre nosegmento de aços planos no Brasil ao lado de Usiminas eCompanhia Siderúrgica Nacional . A Gerdau, maior fabricante de aços longos das Américas,investirá 835 milhões de dólares na instalação na unidadeAçominas de um laminador de chapas grossas com foco no setor deconstrução e em um laminador de perfis médios, ambos destinadosa atender demanda doméstica. O laminador de chapas grossas terá capacidade para produzir870 mil toneladas por ano e o laminador de perfis médios, 650mil toneladas anuais. Os planos da companhia para a ampliaçãodo conjunto de produtos foram anunciados em dezembro do anopassado, mas a conclusão dos estudos e a decisão da localizaçãodos equipamentos aconteceram agora. As chapas grossas são utilizadas em construção civil, naindústria de equipamentos pesados e, em especial, na produçãode tubos com costura de média e grande dimensão (gasodutos paraindústria petroquímica e minerodutos, por exemplo) e naindústria naval, informou a Gerdau. Os perfis médios complementam a linha de perfis estruturaisjá produzida pela unidade e são destinados às indústrias deconstrução civil, máquinas e equipamentos, estruturasmetálicas, construção mecânica e naval. As ações da Gerdau subiam 1,02 por cento às 14h33, enquantoisso, o Ibovespa subia 0,48 por cento. A Gerdau anunciou nestasegunda-feira resultados de primeiro trimestre, com queda de7,5 por cento no lucro líquido na comparação com o mesmoperíodo de 2007. Para mais informações clique [ID:nN12259592]. Segundo o vice-presidente de finanças da companhia, OsvaldoSchirmer, a Gerdau tem reservas de minério de ferro de 1,8bilhão de toneladas na região do Quadrilátero Ferrífero, emMinas Gerais, onde fica a Açominas. Em 2010, até 80 por cento do consumo da commodity pelacompanhia no Brasil virá dessas reservas próprias, algo como 6a 7 milhões de toneladas anuais, informou o executivo.Atualmente o índice está em 30 por cento. O executivo comentou que a companhia está avaliando apossibilidade de explorar mais minério para vender a terceiros,o que geraria investimentos, além das minas, no porto daempresa em Sepetiba (RJ) para exportação da commodity. Uma decisão de ampliação do porto deve sair em cerca detrês meses, informou. Sobre eventuais aquisições de novas reservas de minério, oSchirmer afirmou que "quem está nesse segmento tem obrigaçãopermante de vigília nesse setor. Ainda existe algumasoportunidades pequenas no Brasil e estamos atentos". CRESCIMENTO NO EXTERIOR A Gerdau promoveu uma série de aquisições ao longo doprimeiro trimestre, entre elas a norte-americana MacSteel por1,7 bilhão de dólares. A empresa será inserida no conjunto dasoperações da brasileira Gerdau SA e não na subsidiárianorte-americana Gerdau Ameristeel, disse Schimer. Desconsiderando isso, e olhando apenas em termosgeográficos, o faturamento das operações nos EUA deve superaras receitas obtidas no Brasil no próximo trimestre, informou oexecutivo. No primeiro trimestre, o faturamento bruto da Gerdau noBrasil somou 3,62 bilhões de reais, enquanto na América doNorte as vendas brutas foram de 3,53 bilhões. A Gerdau também está obtendo expansão na área de açosespeciais, onde pretende investir 1 bilhão de dólares até 2010.A participação do segmento no fauturamento bruto total foi de18,1 por cento, equivalente a 1,8 bilhão de reais e crescendo7,1 por cento sobre o primeiro trimestre de 2007. "O Brasil é foco nesse crescimento... mas Leste Europeu éuma região nova que estamos olhando oportunidades e também aChina", disse o presidente-executivo da Gerdau, André GerdauJohannpeter, em teleconferência com jornalistas. Segundo Schirmer, a Gerdau está promovendo neste trimestrereajustes de preços de até 15 por cento em seus produtossiderúrgicos vendidos no Brasil. "O mercado está com umademanda super aquecida e tem condições de absorver esseaumento", afirmou. (Edição de Cláudia Pires)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.