Gerdau
Gerdau

Gerdau vai investir R$ 550 milhões em usina

De acordo com presidente da companhia, aporte é sinal de ‘confiança no próximo governo’

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2018 | 04h00

A Gerdau anunciou na quinta-feira, 22, um investimento de R$ 550 milhões em sua usina em Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo. “Esse é um sinal de otimismo e confiança no próximo governo”, afirmou o presidente da siderúrgica gaúcha, Gustavo Werneck, que em janeiro completa um ano à frente da companhia.

Segundo o executivo, esse será o primeiro passo a ser dado pela empresa para aumentar a capacidade de produção de aços especiais das atuais 600 mil toneladas anuais para 1 milhão de toneladas. O início da operação alvo do investimento deve ocorrer em 2020. O projeto vai permitir à Gerdau iniciar a produção de aços mais leves e resistentes, com aplicação na fabricação de veículos elétricos e híbridos.

“Vamos investir nos ativos que temos agora. Há novas necessidades de materiais na indústria automotiva e queremos chegar antes que a necessidade ao mercado. Vamos ter investimento inerente para atualização tecnológica de nossos ativos”, disse Werneck.

Werneck destaca que o investimento faz parte da estratégia da empresa de focar em ativos de maior rentabilidade, processo que levou o grupo a vender cerca de R$ 7 bilhões desde 2014 para concentrar seu portfólio nas Américas.

Apesar do investimento ter sido anunciado agora, a operação vem sendo estudada desde 2016. O tema surgiu à mesa por conta do próprio programa de desinvestimentos, que fez a empresa se debruçar sobre os ativos de maior rentabilidade.

Para este ano, os desembolsos da Gerdau serão da ordem de R$ 1,2 bilhão, destinado principalmente para a manutenção das operações. O orçamento para os próximos anos será anunciado ao mercado em fevereiro de 2019.

A Gerdau estuda também, de acordo com Werneck, a reforma do alto-forno de Ouro Branco, em Minas Gerais, o que deve ocorrer em 2022.

Em relatório ao mercado, o BTG Pactual, afirmou que o investimento anunciado pela Gerdau é oportuno e tem em vista o aumento da demanda no setor automotivo, em especial no segmento de veículos elétricos e híbridos, além de preparar a empresa para um crescimento econômico do Brasil mais à frente.

Otimismo

A expectativa da Gerdau para o consumo de aço no Brasil para o próximo ano é bastante positiva, diante da percepção de que entraves para novos investimentos no País devem ser solucionados já nos primeiros meses de 2019.

A Gerdau tem estabelecido um foco no segmento de aços especiais, mas a projeção é positiva para o consumo em infraestrutura no Brasil, a partir do segundo semestre do ano que vem. “As obras com o novo governo devem aparecer de forma mais intensa”, disse Werneck, lembrando que nesse setor a recuperação possui um ritmo um pouco mais lento.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    GerdauindústriaPindamonhangaba [SP]

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.