Pisco Del Gaiso/Santander
Pisco Del Gaiso/Santander

Getnet amplia expansão no mercado europeu e quer chegar a 30 países do continente

Companhia, que nasceu como uma startup no Rio Grande Sul, já atua na Espanha e em Portugal; marca também se expandirá na América Latina e planeja ingressar nos Estados Unidos

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2021 | 05h00

O Santander deu mais um passo para levar seu negócio brasileiro de maquininhas para o mundo e anunciou ontem que sua fintech de pagamentos, a PagoNxt, vai desbravar o mercado da Europa sob a marca Getnet. Depois de Espanha e Portugal, o objetivo é avançar para outros países, em um total de 30 mercados na região.

Na América Latina, o Santander planeja entrar também no Uruguai “em breve”. Terceira maior empresa de maquininhas do Brasil, com 1,1 milhão de clientes, a Getnet já atua nos mercados do México, do Chile e da Argentina.

Em recente entrevista, durante participação no programa Olhar de Líder, o presidente da Getnet, Pedro Coutinho, disse que a companhia, que nasceu como uma startup, no Rio Grande do Sul, em 2003, planeja ainda ingressar nos Estados Unidos, o que estaria previsto para 2023.

Na Europa, onde pretende estar em plena operação já no próximo ano, a ideia é alcançar comerciantes de todos os tamanhos em 30 países, atraindo tanto clientes do Santander quanto não correntistas. O lançamento em cada um dos mercados-alvo ocorrerá ao longo dos próximos meses, de acordo com o banco.

Um dos impulsos para a expansão da marca brasileira na Europa foi a aquisição de ativos da alemã Wirecard. Após um escândalo de fraude contábil, a empresa engrenou em uma série de desinvestimentos ao redor do globo, sendo alguns deles adquiridos pelo Santander.

“A implantação global da Getnet está à frente do planejado. Nosso objetivo é ajudar os clientes na Europa e nas Américas a expandirem seus negócios, tornando os pagamentos mais fáceis e seguros, usando as melhores tecnologias disponíveis”, disse o diretor de operações da PagoNxt, Javier San Félix, em nota à imprensa.

Dos mais de 2,3 mil funcionários da Getnet no mundo, 600 estão na Europa. Lá, o objetivo, conforme o banco espanhol, é aumentar 20% do quadro para auxiliar a estratégia de crescimento.

Os planos de expansão do Santander miram para 150 milhões de clientes no negócio de pagamentos, incluindo as pequenas e médias empresas, e 60 milhões de cartões ativos. Essa é a base, conforme o banco, para dobrar a o volume de transações digitais entre os anos de 2020 e 2025, chegando à marca de US$ 10,5 trilhões.

Organização

Sujeita às aprovações regulatórias necessárias, a incorporação da Getnet Brasil à fintech PagoNxt está prevista para antes do fim do ano, de acordo com o Santander. No Brasil, o Santander já obteve o aval do Banco Central (BC) para segregar o seu negócio de maquininhas. A autorização era um dos passos restantes para que o banco pudesse seguir com o planejamento de listar a Getnet na Bolsa

Nesse sentido, aguarda o registro de companhia aberta solicitado aos reguladores do mercado de capitais, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no Brasil, e a SEC (Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.